debitoA empresária Fabíola tem duas empresas: uma há treze anos e outra há três. Diz que as vendas são boas, graças à qualidade dos produtos que oferece e ao ponto centralizado do negócio. Apesar disso, segundo nossa leitora, “90% dos clientes não pagam em dia, e com o que recebo não consigo pagar os fornecedores na data certa”.

Para ajudar Fabíola, o técnico do Sebrae Roberto Rocha fez uma lista de procedimentos que podem tirar a empresária do vermelho. A dica principal é ter criatividade e criar meios de o cliente pagar sempre à vista, seja com programas de descontos para quem comprar com dinheiro ou de fidelidade. Confira:

Se a empresa está no vermelho, presumidamente o negócio não está dando LUCRO, ou seja, o volume de receitas/vendas mensais é insuficiente para pagar todas as despesas/custos, e, sendo assim, o negócio está dando um prejuízo nas suas operações. Então, será preciso:

- aumentar as receitas/vendas;

- diminuir as despesas.

- analisar quais são os gastos que estão extrapolando;

- adotar medidas para economizar nas despesas fixas – energia, telefone, água, salários, aluguel etc.

- verificar se as retiradas mensais dos sócios (pró-labore) estão compatíveis, para evitar que tirem do Caixa da empresa mais dinheiro do que é possível;

- avaliar cada gasto que a empresa tem. Lembre-se que é preciso ter austeridade;

É possível também que os preços cobrados pela execução dos serviços não seja suficiente para pagar as despesas Fixas + Variáveis + Financeiras, e ainda deixar LUCRO. Será necessário implantar os controles básicos de gestão na empresa e levantar se a empresa tem dívidas, com quem, quais os valores, quais os prazos para pagar etc.

Abaixo, mais sugestões:

1. Procure driblar a inadimplência, colocando os vencimentos nos primeiros dias do mês. Marque os vencimentos para antes do dia 10, preferencialmente até o quinto dia útil. Se o seu cliente recebe no início do mês, a prioridade será pagar os vencimentos mais próximos.

2.Venda à vista ou com cartão de crédito. Parece lógica esta dica, mas muitos empresários ainda acham que custa caro ter o contrato com as empresas de cartão de crédito. Realmente não é barato, mas se a sua inadimplência está acima dos 5% já compensa ter essa forma de pagamento e evitar os cheques pré-datados. Em cartão de crédito aprovado não há risco de inadimplência e sempre é possível negociar taxas menores com as administradoras.

3. Ao fornecer crédito, consulte o Serviço de Proteção ao Crédito – SPC e o Serasa. Evite vender para clientes que já estão inadimplentes em outras empresas.

4. Faça um Cartão Fidelidade, oferecendo alguns benefícios ao cliente adimplente, como descontos em próximas compras, um brinde caso as contas sejam pagas em dia até o final do contrato e etc. Procure usar a sua criatividade!

Procure o SEBRAE (0800-570-0800) e agende um atendimento para obter mais ajuda.