Vera Saavedra Durão
Valor Econômico

O BNDES lança nos próximos 30 dias um produto totalmente novo para pôr fim ao problema de garantia de crédito enfrentado pelas médias, pequenas e microempresas e pessoas físicas, como os caminhoneiros, que buscam recursos da instituição, adiantou ao Valor o presidente do banco, Luciano Coutinho.

O Fundo Garantidor de Investimento (FGI) está programado para operar no final de agosto, dando cobertura de aval a 80% do valor dos empréstimos feitos através de agentes financeiros por estas empresas. Para Coutinho, o FGI vai permitir ampliar a participação destas companhias no desembolso do banco, hoje da ordem de 23%.

A proposta do FGI, considerada de grande “appeal” para o sistema bancário, é a de fazer pagamento imediato – desburocratizado e por via eletrônica – às instituições financeiras repassadoras dos recursos do BNDES, em casos de operações de “default” da sua clientela. Para usufruírem do benefício de “liquidez imediata”, porém, os agentes financeiros devem tornar-se cotistas do FGI. Para isto, terão que alocar quantia equivalente a 0,5% do valor que cada um quer ter de cobertura de aval do fundo.

O BNDES estará aberto à adesão dos agentes ao FGI a partir do mês que vem, informou Marcelo Porteiro Cardoso, chefe do Departamento de Política e Gestão de Instrumentos de Garantia para Acesso ao Crédito do BNDES.

Leia à matéria na íntegra!