logo_saiba_mais_menorInovação é a palavra chave de qualquer empresa de sucesso. Pense nas empresas que lideram o mercado há muitos anos. Se você observar a história de cada uma atentamente, perceberá que elas estão sempre lançando novos produtos e serviços, mudando a forma de gerir o negócio, melhorando a rotina produtiva e elaborando novas estratégias de marketing. Se elas não fizessem isso, com certeza já não estariam mais no mercado. Mesmo os empreendimentos mais tradicionais precisam inovar para não serem esmagados por empresários jovens e cheios de ideias. Hoje, o locutor do programa de rádio da Rede de Conhecimento Faça Diferente bateu um papo com o consultor José Miguel Chaddad sobre as vantagens e características das empreitadas inovadoras.

Inovar não é algo complicado, as pequenas mudanças já fazem diferença. Aliás, se uma ideia parece mirabolante demais e difícil de ser executada, é muito provável que ela não resulte em uma inovação. Um empresário inovador é aquele que possui a capacidade de estar constantemente reciclando os negócios e dando nova modelagem ao empreendimento. É importante destacar, no entanto, que mesmo as pequenas alterações devem ser planejadas e bem organizadas. Dessa maneira, você adota mudanças mais seguras e que têm mais chances de aumentar os ganhos do negócio.

Uma atitude inovadora pode ser, simplesmente, deixar a vitrine mais atrativa, mudar a disposição dos produtos e móveis dentro da loja ou passar a elogiar os funcionários para motivá-los a desempenhar melhor trabalho. Esses três exemplos de ações inovadoras têm custo zero. Alguém pode afirmar, no entanto que está sempre renovando a vitrine da minha loja e não considera isso não é inovação. Realmente, se um empreendedor já tem esse hábito, isso não é inovação. Mas, para o empresário que não costuma se preocupar com a aparência da loja, alterar a disposição de manequins e produtos é, de fato, uma iniciativa inovadora.

Inovação X invenção

Muitas das dúvidas sobre inovação surgem da confusão entre os verbos inventar e inovar. Por isso, vamos deixar bem claro a diferença entre esses dois conceitos. Invenção é a criação de um produto totalmente novo, que pode ou não ser comercial. Se você, empreendedor, criou um objeto que, apesar da originalidade, não desperta interesse do mercado, você terá inventado, mas não inovado. Lembre-se de que inovação é toda mudança que gera lucros à empresa. Se seu invento tornou-se sucesso de vendas, você terá se tornado o autor de uma inovação e de uma invenção.

Existe ainda a possibilidade da inovação que não é invenção. Nesse caso, o empresário adota uma mudança já aplicada em outras empresas, mas que, mesmo assim, aumenta o faturamento do negócio. Vamos a um exemplo prático. Você tem uma pequena pizzaria e resolve contratar um motoboy para entregar o pedido na casa do cliente. Diversos outros estabelecimentos fazem o mesmo, certo? Mas se esse novo serviço aumenta os lucros do seu empreendimento, você terá inovado. Nessa situação, a inovação ocorre no âmbito da empresa. Já no caso do invento que se revela um sucesso de vendas, a inovação acontece na esfera do mercado.

Por isso, é fundamental estar sempre de olho no que as empresas do mesmo ramo da sua estão fazendo, quais produtos e serviços estão lançando e que novidades estão trazendo aos clientes. Essas dicas não são um incentivo a copiar as iniciativas alheias, mas a avaliar erros e acertos dos concorrentes e a elaborar projetos ainda melhores do que os deles. Um dos primeiros mandamentos do empresário inovador é a busca por conhecimento, que engloba a pesquisa sobre a ação da concorrência.

Tipos de inovação

A inovação pode ser aplicada em várias áreas da empresa. Você pode, por exemplo, inovar no marketing, ao laçar estratégias eficazes que aproximem o cliente da sua loja. Entre os exemplos dessa modalidade de inovação, podemos citar promoções, criação de cartões fidelidade, distribuição de brindes, reformulação do design da embalagem, lançamento de website, entre outros. Em cima desses instrumentos básicos, você pode elaborar formas criativas de abordar a clientela.

A inovação organizacional corresponde à mudança na forma de gerir o negócio que resulte no aumento de produtividade. Você, empresário, pode, por exemplo, adotar um novo método de gestão ou de relacionamento com os funcionários. Há casos de empresas que permitem aos empregados a possibilidade de trabalhar em casa, pois notaram que a equipe demonstra-se mais eficiente diante dessa rotina de trabalho.

A sua empresa também pode tornar-se inovadora em relação aos processos de produção. Ou seja, você, empreendedor, pode aprimorar a maneira de fabricar produtos, aumentando a produtividade, reduzindo o desperdício e adotando métodos que não prejudiquem o meio ambiente. Além disso, você pode encontrar novas maneiras de levar suas mercadorias até os pontos de venda, o que configura em uma inovação em distribuição.

Finalmente, você pode optar por inovar em produtos e serviços. Isso pode ser feito por meio do lançamento de novo catálogo de mercadorias ou pela diversificação dos serviços ofertados aos clientes. Um restaurante pode inovar ao disponibilizar o serviço de manobrista e ao contratar uma banda para tocar música ao vivo. Outra possibilidade é oferecer uma facilidade ao consumidor ainda pouco explorada pelas empresas. O sistema de entrega em casa, por exemplo, pode contemplar vários produtos e serviços, além de pizzas, sanduíches e remédios. Seja criativo! Aguce o poder de observação e perceba em que áreas os clientes ainda não são atendidos. Depois disso, coloque suas ideias em prática. Mostre aos consumidores e à concorrência como é possível fazer diferente e se destacar no mercado.