A técnica em enfermagem Laura quer implementar ações de mobilização da equipe de uma clínica de hemodiálise. Ela pede ajuda para os consultores do Sebrae. “Gostaria de alguma ideia para mobilizar e sensibilizar os profissionais do meu trabalho. Pensei em implantar uma biblioteca e uma caixa de sugestões.” Há seis anos no mercado, o centro de tratamento fica em Recife, capital pernambucana, e tem 40 funcionários.

Lei às dicas dos consultores do Faça Diferente:

1. Estratégias

Faça uso de diferentes estratégias, além das que sugeriu. No entanto, a motivação de funcionários é um tema extenso e complexo, contemplando inúmeros fatores, que variam conforme a atividade empresarial e os perfis dos colaboradores, do empresário e do líder da equipe, bem como de suas ações junto ao pessoal. Então, mas é difícil sugerir alguma ação específica! Além disso, essas iniciativas devem ser continuamente revistas e aperfeiçoadas a fim de manter a equipe motivada e comprometida.

Uma boa dica é sondar no mercado alguns workshops e programas destinados para os profissionais da área da saúde, que geralmente vivem em ambientes estressantes e acumulam problemas. Essa rotina pode gerar sintomas físicos, psíquicos ou emocionais indesejáveis na equipe, podendo interferir na produtividade e nos resultados organizacionais.

2. Motivação

A motivação é influenciada por três aspectos que se inter-relacionam: benefícios, incentivos e treinamento. Os benefícios incluem: convênios de assistência médico-hospitalar ou odontológica, ticket refeição, vale-transporte, vale-compras, parcerias com clubes e entidades, convênios de descontos para medicamentos, cesta básica, creche, uniforme e material escolar para os dependentes, entre outros.

Os incentivos podem englobar: premiações por metas alcançadas, reuniões e diálogos com a equipe de colaboradores, elogios e estímulo frequente dos colaboradores para transmissão de segurança e energia positiva.

Já o treinamento implica em capacitação através de qualquer meio adotado como forma de aprendizado, tais como: cursos, palestras, feiras, seminários, exposições, workshops, leituras, visitas a concorrentes, etc.

3. Combater a desmotivação

Segundo José C. V. de Oliveira, Consultor do Sebrae-SP, deve-se estar atento aos sinais de desmotivação da equipe e buscar agir de acordo com eles. Alguns sinais de desmotivação incluem: apatia e indiferença pelo trabalho, atrasos e faltas elevadas, exagero dos efeitos provenientes de problemas e disputas, falta de cooperação para superar problemas e dificuldades, bem como resistências injustificadas a mudanças.

O especialista também sugere algumas ações que podem melhorar a motivação dos funcionários:

a) capacitação adequada da equipe (há diversas palestras e cursos motivacionais disponíveis no mercado);

b) clareza na transmissão da situação da empresa, do seu mercado de atuação, missão, visão e valores;

c) assistência e fornecimento de recursos necessários para o desempenho da equipe;

d) acompanhamento contínuo da equipe para avaliação dos resultados e discussão conjunta de ações corretivas;

e) estabelecimento de uma boa política de remuneração;

f) reconhecimento do trabalho individual e da equipe (seja através de elogios, autonomia e títulos);

g) promoção do desenvolvimento da carreira (perspectivas de ascensão na carreira, aperfeiçoamento pessoal e chances de maiores responsabilidades, como chefia temporária da equipe durante o período de férias do superior hierárquico).