Produtores de café expresso investem em certificação sensorial para tornar marcante a experiência de beber café

O Marketing Sensorial é muito utilizado como diferencial no agronegócio e pela indústria de alimentos e bebidas. De acordo com o professor Luigi Otello, do Centro Studi Assaggiatori (Brescia, Itália), a tendência é a certificação sensorial de produtos como massas, vinhos e café. Por exemplo, há alguns anos os produtores italianos de café apostam neste tipo de certificação, principalmente na industrialização do café expresso.

“O prazer é um convite. O desprezo é um conselho para desistir de uma determinada ação. Através do prazer, ao consumir um produto, definimos a sua qualidade.”, disse o professor Otello numa palestra que realizou no Brasil mês passado.

O professor italiano explica que o Marketing Sensorial tem a função de detectar a emoção existente no produto e transmiti-la ao consumidor. A emoção aliada à qualidade leva o consumidor a comprá-lo. Com isso, ao beber um café com uma certificação sensorial, o cliente sabe que terá uma experiência de cheiro e sabor inigualável.

O que é marketing sensorial?

Este tipo de marketing analisa o comportamento do cliente e suas emoções e cria um vínculo emocional entre o produto ou serviço e o consumidor. Tira proveito das sensações percebidas pelos cinco sentidos do ser humano e transforma essas sensações e experiências em diferenciais competitivos.

O especialista em marketing e varejo Wagner Campos diz que os cinco sentidos (visão, audição, tato, paladar e olfato) são, muitas vezes, responsáveis por algumas de nossas decisões. “Esta estratégia é uma alternativa que tem conquistado cada vez mais o espaço no ponto de venda, centralizando os esforços na transformação da experiência de consumo em uma atividade envolvente e marcante.”

Um restaurante de alimentação natural pode usar o marketing sensorial ao colocar, no ambiente, essências que exalam odor de matas ou músicas com som de cascatas, ou seja, criar um ambiente agradável que favorece o sabor dos alimentos que serve. Portanto, a música ambiente de uma loja e o cheiro que os clientes sentem ao entrar nela podem conquistar o cliente e contribuir para que escolha o negócio para comprar aquilo que necessita.

A rede de nuts glaceados Nutty Bavarian aplica o marketing sensorial, que hoje é o seu principal motivador de vendas. Realizada pela empresa com pouco mais de 300 frequentadores de shoppings, pesquisa mostra que 66,7% dos clientes foram motivados a comprar os seus produtos quando sentiram o cheiro das nuts glaceadas.

O estudo aponta que a primeira sensação que vem à cabeça das pessoas quando elas pensam na marca é o odor adocicado das nozes, avelãs e amêndoas. “O produto feito na hora exala um aroma que atrai os clientes e cria uma identidade que é quase tão forte quanto à imagem de nossos quiosques.”, contou Adriana Auriemo, responsável pela franquia no País, para a revista PEGN.

Regras básicas de utilização

Segundo Wagner Campos, “o Marketing Sensorial não exige um investimento muito alto e dá resultados práticos em curto prazo, além de personalizar a experiência da compra, destacando o estabelecimento junto ao consumidor.”

Abaixo, o especialista em marketing lista algumas formas para otimizar os resultados do negócio por meio do marketing sensorial:

Visão: Cuidado com o excesso de cores e imagens, ou seja, evite poluição visual. O produto deve ter destaque sem que as muitas mensagens venham a confundir o seu público-alvo. O estabelecimento deve escolher cores que identifiquem sua ideologia.

Audição: Músicas devem ser adequadas aos ambientes. Em lugares mais agitados a música alta pode vir a atrapalhar. Escritórios, lojas e supermercados devem dispor de uma “rádio” interna própria, com seleções de músicas que envolvam o ambiente e se identifiquem com o perfil dos clientes, num volume ideal ao seu público. Não se coloca, por exemplo, um Heavy Metal em um restaurante italiano no horário do almoço.

Tato: O consumidor brasileiro tem o hábito de “observar” com as mãos. Deixar os produtos ao seu alcance pode ser uma grande oportunidade de agradáveis experiências aos consumidores e novos negócios para a empresa.

Paladar: Este sempre foi o conquistador de todos. Há até o ditado: “conquistou o marido pelo estômago”. Oferecer ao cliente agrados como chocolates, balas ou outras guloseimas que agreguem, além do sabor, características visuais e olfativas, pode tornar a experiência de compra inesquecível, bem como satisfazer o cliente por ganhar um brinde.

Olfato: As essências podem ser utilizadas para personalizar o ambiente. É necessário apenas ter cautela quanto ao exagero da quantidade ou excesso de essências distintas em um mesmo ambiente.

Com informações da Revista PEGN e dos sites Administradores e Agro Venda.